top of page

Empreender é melhor que CLT?

Atualizado: 29 de out. de 2021


Eis aí a dúvida de muitos: Empreender ou ser empregado, o que pode ser melhor? Isso é bastante comum entre muitas pessoas, pelo menos em algum momento da vida. Conheça as vantagens e desvantagens de cada opção. 



Controlar seus horários, ter mais autonomia na tomada de decisões ou ser seu próprio chefe, são alguns dos motivos pelos quais as pessoas desejam empreender. Porém, para isso é preciso ter perfil. Existem pessoas que preferem ter mais segurança, ter um salário fixo no fim do mês ao invés de correr riscos. 

Para empreender é preciso ter em mente que não existe um perfil melhor ou pior. Para quem tem perfil de empregado, empreender pode não ser uma boa ideia, assim como o contrário. Dessa forma, a primeira coisa que é preciso observar é: qual o seu perfil?

Para analisar melhor o seu perfil, é importante que você descubra o que te faz trabalhar satisfeito, com determinação. Outro fator que também pode influenciar essa análise,  é o momento pessoal, da vida e da carreira, que variam muito de pessoa para pessoa. Por isso, o mais recomendável é não tentar fazer algo que não gosta, pois dessa forma, você ficará insatisfeito empreendendo, por exemplo, quando, na verdade, você preferia ser empregado ou vice-versa. 


“E se eu fosse o dono do meu próprio negócio?” Sem dúvida, essa questão já passou pela sua cabeça, assim como já passou pela mente de todos que se veem diante da construção de uma carreira. Em tempos de mercado de trabalho enfraquecido pela crise, essa pergunta faz cada vez mais sentido.


É certo que ser empreendedor parece muito mais atual do que trabalhar em uma empresa. Puxado, talvez, pelo frenesi que contagia o Vale do Silício, na Califórnia, empreender em startups entrou na ordem do dia. Se antes era bacana construir uma carreira sólida e longa em organizações já consolidadas no mercado, hoje ainda mais atrativo é poder se lançar ao mundo como dono de uma empresa. Que jovem não quer ser o novo Mark Zuckeberg (fundador bilionário do Facebook) no universo dos negócios?


Mas será que empreender é mesmo o desafio ideal para você ou seu perfil se adequa melhor ao de um funcionário? No post de hoje, vamos falar exatamente sobre isso, pontuando as vantagens e as desvantagens de cada opção, os riscos de cada uma e apontar qual o melhor caminho para você. E aí, empreender ou trabalhar?


Correndo riscos

Embora pareça muito descolada e promissora financeiramente, a vida do empreendedor traz riscos que nem todos querem correr. A possibilidade permanente de falhar, andando sempre no fio da navalha, é uma das grandes desvantagens de ser dono do próprio negócio. Estar vulnerável às vontades e sabores do mercado é outro desafio — e a lista não para por aí. Empreender consiste em ser responsável pelo seu próprio futuro, assim como o da empresa e de seus funcionários. E tudo isso pesa demais para alguns.


Por outro lado, para quem tem o perfil empreendedor, a visão desse mesmo conflito é outra. A responsabilidade caminha junto à liberdade de fazer as próprias escolhas. Ser dono do próprio destino é visto, portanto, como a maior vantagem de empreender para quem sente essa necessidade. O gosto pela ousadia, a iniciativa e a motivação permanente são as principais características que empurram os profissionais para o caminho do empreendedorismo.


Sim, porque empreender se impõe praticamente como uma necessidade para quem tem este “gene empreendedor”. Até mais que uma decisão racional, eles são impelidos para isso. Seja para os que se aventuram ao identificar uma oportunidade no mercado ou para aqueles que não têm outra opção (por falta de emprego ou por não se encaixar no que as empresas esperam dos seus funcionários, por exemplo), empreender é para quem tem gosto pelo risco. E você pode começar até durante a faculdade, se quiser.


As chances de retorno financeiro ao comandar sua própria empresa podem superar muito as de ser funcionário de alguém. Por outro lado, se tudo der errado e a empresa fechar, você é que terá que arcar com as dívidas.


Estabilidade em primeiro lugar

Colocando lado a lado as opções, é comum a tendência de exagerar as vantagens do empreendedorismo. Basta uma pesquisa rápida pela internet para comprovar essa teoria: muitos artigos de gurus do empreendedorismo querem convencer seus leitores de que comandar a própria empresa é mais vantajoso do que trabalhar como funcionário. Mas o fato é que construir uma carreira sólida em uma empresa também tem suas vantagens. E elas não são poucas.


Não há nada de errado em desejar estabilidade. E essa é a principal vantagem de ter uma carteira assinada, porque ela traz benefícios garantidos por lei que nem de longe a maioria dos empreendedores pode contar (pelo menos, não até a empresa conseguir caminhar com as próprias pernas). Ter um salário fixo no fim do mês, ter férias, 13º salário, fundo de garantia, tudo como prevê a legislação, permite ao trabalhador desfrutar uma vida mais estável, em que é possível se planejar no longo prazo com uma margem de erro menor.


Como tudo, porém, ser empregado também tem suas desvantagens. Por mais que a empresa contratante lhe ofereça autonomia, você fará parte de uma engrenagem maior e simplesmente não poderá tomar decisões de acordo com sua cabeça. Não será você quem vai determinar suas metas. Efetivamente, você sempre estará subordinado a alguém, mesmo que você ocupe o cargo máximo dentro da hierarquia (neste caso, estará abaixo do conselho ou do dono da empresa). E mesmo as chances de crescer serão, de certa forma, limitadas.


Ainda que a empresa ofereça benefícios extras, como bônus de acordo com a sua produtividade, o fato é que você provavelmente receberá menos do que produz para os cofres da organização. Tudo isso, em troca da estabilidade da carteira assinada. Se tudo der errado e a empresa fechar, você terá uma rede de segurança: seu fundo de garantia e a previdência social (os empreendedores não contam com isso).


O mercado é feroz, e se destacar frente a concorrência requer esforço tanto do empreendedor quanto do profissional que escolhe ser funcionário. Para estar entre os melhores, é preciso vencer muitas barreiras. Não adianta achar que um caminho será mais fácil do que o outro. Não será.


Decidindo seu futuro

Se você leu este artigo até aqui, já deve ter percebido que a escolha por um lado ou por outro é somente sua. Sim, esta é uma opção completamente pessoal, que só você poderá fazer, ponderando os prós e os contras. O que importa, na verdade, é tomar a decisão e seguir em frente, para fazer acontecer.


É preciso, em primeiro lugar, fazer uma autoanálise e, com honestidade, reconhecer as próprias habilidades e os sonhos que você traz consigo. A partir daí, é suor: estudar, se aprimorar com dedicação e afinco e, claro, não esmorecer diante dos desafios.


E, caso alguma coisa mude no meio do caminho, se você hoje é empregado e sonha em abrir uma empresa, por exemplo, vá em frente. Lute para conquistar o que você deseja. O mercado oferece oportunidade para todos que têm disposição — seja para aqueles que querem se aventurar como empreendedor ou para quem quer contar com a segurança de uma carteira assinada.


E então, já decidiu se você vai empreender ou trabalhar? Já sabe qual será o seu caminho? Deixe sua opinião nos comentários!

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page